set 17, 2017

Posted in Artigos, Blog

A Doce Lunação de Virgem

Depois de semanas dramáticas, com dupla lunação de Leão e com direito a eclipse, começa o ciclo virginiano, de arrumar as coisas depois da festa, de organizar a bagunça do mês anterior, de trabalhar, servir e cuidar, lidar com nossos compromissos e as coisas práticas desse mundo.

É uma lunação do dia 20 de setembro que se forma com tranquilidade, sem que a Lua forme nenhum aspecto além da óbvia conjunção com o Sol (lunação é Sol conjunção Lua). A Lua está focada,  concentrada em suas obrigações, sem a distração da influência de aspectos de outros planetas. 

Na Casa em que acontece sua lunação (Casa em Virgem) fica seu senso de organização, de serviço e esse é o ciclo que se ilumina durante esse ciclo lunar. Depois de trabalharmos a autoconfiança e de expressarmos nossa luz para o mundo no ciclo de Leão, agora é o momento de iluminar o Virgem interior,  a humildade, a ordem, a consciência da importância do papel de cada um na grande engrenagem.

No céu, Marte e Mercúrio sofrem oposição de Netuno, indicando o esforço para conciliar a ação e a razão com o inexplicável de Netuno. Ou a iniciativa com a humildade de Peixes.

Nessa noite sem lua, onde tudo é recomeço, a lua está tranquila. Aceita a conjunção com o Sol humildemente, focada em sua missão de se renovar e cumprir seu papel de despertar as energias virginianas.

A lunação acontece quando se comemora o dia da criação do mundo, o Rosh Hashaná, ou ano novo judaico, mas que celebra a renovação para todos os povos.

Que seja um ano doce, como diz a tradição do ano novo, e um mês lunar igualmente doce, com essa lua nova suave e dedicada,  sem pedidos, sem pensar no que queremos ou merecemos, mas virginiamente, como podemos contribuir.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: